Os escritórios têm se tornado local de contínua renovação tecnológica, exigindo constantes mudanças em seus interiores. Dessa forma, muitos espaços são pensados previamente para essas mudanças, recebendo dispositivos que facilitam a vida de todos, como é o caso dos pisos elevados na arquitetura corporativa.

Pisos elevados na arquitetura corporativa
Fonte: Nesite.

Os pisos elevados são versáteis e uma solução inteligente que ajuda muitas empresas a economizar bastante com obras e reformas a longo prazo.

No mercado há cerca de 50 anos e evoluído juntamente com a tecnologia que ajudou a tornar esse tipo de revestimento cada vez mais popular, os pisos elevados consistem em um sistema de placas, que podem ser de diversos materiais, ligados a estruturas modulares de apoio.

O sistema cria um vão entre as placas e o chão, que facilita a passagem de cabos, tubulações e até das instalações do ar-condicionado.

Para escritórios de tecnologia, por exemplo, em que a quantidade de instalações e a necessidade de manutenção são constantes, ter um piso que facilita o acesso aos cabos é uma solução muito eficaz para ajudar a economizar tempo e dinheiro.

Empresas que pretendem crescer e aumentar o número de funcionários trabalhando no mesmo espaço também devem pensar nessa opção.

É um tipo de piso que facilita, e muito, quando há necessidade de mexer no mobiliário, seja colocando mais mesas e computadores, ou de instalar novas tomadas ou passar cabos elétricos e rede de dados.

Pisos elevados na arquitetura corporativa
Fonte: Kingspan.

Uma das vantagens do uso de pisos elevados na arquitetura corporativa, por exemplo, é no tempo de instalação. É claro que pode variar conforme a obra, mas costuma ser bastante inferior ao do assentamento de pisos tradicionais, feito com argamassa e rejunte.

Como o sistema pode ser montado diretamente sobre a laje, sem necessidade de contrapiso, sua instalação é muito prática e rápida. Considerado muito resistente e estável, os pisos elevados podem ser preparados para receber qualquer tipo de revestimento.

Alguns fabricantes recomendam o uso de carpete em placa, pois facilita a manutenção do cabeamento que passa por debaixo, tendo em vista que basta retirar a placa que está sobre o local que será reparado. Depois do serviço pronto, basta recolocar o pico e a placa de carpete de volta no lugar.

Os fabricantes de pisos elevados também garantem que o sistema atende aos critérios de isolamento acústico e térmico, tão importantes nos projetos de arquitetura corporativa atualmente, além de extremamente seguros por aguentarem bastante peso.

Pisos elevados de madeira
Fonte: Kingspan.

Muitas empresas também levam em conta a possibilidade de reaproveitamento dos pisos na hora de instalá-los em seus escritórios. Como se tratam de peças móveis, se houver necessidade de modificações no layout do espaço ou de uma mudança completa, o piso pode ser reajustado ou transportado para o novo espaço, sem perder suas características.

Os pisos elevados podem ser produzidos em uma infinidade de materiais e é preciso estar atento a suas características ao escolher esse material para um determinado ambiente. Cada tipo de matéria-prima influi na durabilidade e performance do produto, além de ser recomendado para diferentes espaços.

Pisos elevados de madeira, por exemplo, não devem ser instalados em ambientes externos, pois a umidade pode degradá-los muito rapidamente. Já os metálicos podem ser usados em qualquer tipo de ambiente, pois tendem a ter a vida útil muito longa, mesmo quando expostos ao tempo.

Quem deseja utilizar os pisos elevados em um projeto corporativo deve consultar um arquiteto ou escritório de arquitetura para verificar as possibilidades de instalação do sistema no espaço disponível, além de conhecer qual o tipo mais adequado para o local.